Pandemia – Servidores repudiam volta ao trabalho presencial

Compartilhe!

Os servidores da Câmara Legislativa se reuniram em assembleia, na tarde de hoje (19), e decidiram, por unanimidade, repudiar do Ato da Mesa Diretora (AMD) nº 59 que determina o retorno ao trabalho presencial no âmbito da CLDF.
No entendimento da categoria, a pandemia ainda representa grave risco à saúde dos servidores que, em sua grande maioria, não foram vacinados e não há estudos ou sequer preparação para que os trabalhos presenciais sejam retomados.
Durante a assembleia foi realizada a leitura de uma nota encaminhada ao Sindical, feita pelos consultores legislativos da Unidade de Saúde, Educação, Cultura e Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico da Casa. Por decisão da assembleia o texto servirá de base para comunicado que será encaminhado, via ofício, pelo sindicato à Mesa Diretora como resposta ao AMD 59.
Dentre os pontos destacados na nota estão: o ritmo insuficiente da vacinação no Distrito Federal; o surgimento das novas cepas virais já detectadas, em especial a variante Delta; a reativação dos hospitais de campanha no DF, divulgada pela própria Secretaria de Estado da Saúde como indício de um novo aumento da demanda de leitos hospitalares no DF; a preocupação quanto ao espaço físico de trabalho na CLDF com relação ao sistema de ar-condicionado central e à falta de distribuição de Equipamentos de Proteção Individual (EPI).
Os servidores deliberaram por incluir na nota manifestação de repúdio à forma desrespeitosa como o AMD 59 trata os servidores e à deter-minação de retorno ao trabalho presencial sem ponderações sobre medidas de higiene e prevenção. Também foi aprovada a inclusão, no texto, de alertas sobre a existência de casos de reinfecções e da transmissão de vírus por pessoas imunizadas.
Os servidores aprovaram requerimento para a realização de uma Comissão Geral para tratar do assunto logo após o recesso parlamentar. Uma nova assembleia para tratar sobre o andamento do tema deverá ser convocada na próxima semana.