ATO SEM VERGONHA! Distritais legislam em causa própria e da Odebrecht

Radar DF – Pelo menos 13 dos 24 deputados distritais estão “prontos e conversados” para aprovarem nesta segunda feira (17/12), um projeto de lei de autoria do deputado Robério Negreiros que tem o fito de beneficiar as construtoras Odebrecht e Via Engenharia e de contrapartida, empresas de vigilância e conservação como a Brasfort e Multserv, por exemplo, que pertence à família do distrital, autor da proposta

Por Toni Duarte//RADAR-DF

A Câmara Legislativa se reúne hoje pela manhã, às 10 horas, em caráter extraordinário, para aprovar um projeto de lei pra lá de imoral.

O ato sem vergonha tem o propósito de beneficiar a Odebrecht e a Via Engenharia, empresas que formam o consórcio que construiu o Centro Administrativo de Taguatinga (Centrad), obra investigada por um braço da Lava Jato sob a acusação de superfaturamento, lavagem de dinheiro e pagamento de propinas a políticos do DF.

A “singela” proposta de autoria de Robério Negreiros,  que pede o tempo todo transparência,  se antecipa aos fatos para abocanhar a terceirização de serviços no problemático e confuso consórcio (Odebrecht /Via Engenharia), caso o futuro governo Ibaneis resolva assinar o convenio para a utilização do Centrad.

Os 14 prédios distribuídos em um terreno de 182 mil metros quadrados, sem habite-se ou alvará serviriam para abrigar secretarias, autarquias e empresas de economia mista que fazem parte da estrutura do governo com  um custo  de R$ 276 milhões por ano.

O contrato seria por 22 anos e o governo terá que gastar ainda R$ 235 milhões para a compra de mobiliarios,  já que o contrato não contempla essa obrigação.

Além do mais, o GDF terá que quitar uma dívida no valor de R$ 1,3 bilhão que a PPP (Parceria Público Privado) tem com Caixa Econômica.

É nesse emaranhado de custos altíssimos, pagos pelo contribuinte brasiliense, que o projeto de lei do empresário deputado Robério Negreiros entra na parada para tirar mais um pedaço dos cofres públicos. O projeto sugeri uma falsa transparência.

O projeto de lei, que pode ser aprovado nesta manhã de segunda-feira, obriga o GDF a repassar os recursos para bancar os serviços de vigilância e conservação, cabendo o consórcio (Odebrecht/Via Engenharia) contratar sem licitação.

Seria uma mão lavando a outra e as duas lavando tudo. Resta saber quais os deputados distritais da “gaiola das loucas” que estão dispostos a votar a favor da proposta. O Radar está ligado!